15votos

Proibição de fumar em parques seria ilegal em Portugal

Londres quer vedar o acesso dos fumadores a Hyde Park ou Trafalgar Square - chuza.gl/story/proibido-fumar-londres-pondera-banir-fumo-dos-parques-ps -. A Câmara de Lisboa nunca poderia aplicar esta norma. "Se fosse em Portugal, uma norma dessas colidia com o princípio constitucional da liberdade individual. Liberdade essa que só deve ser limitada perante um bem maior e quando se justifique. Não é o caso". E fundamenta porquê: "Já basta a proibição total de fumar em espaços fechados [...] para proteger o princípio da saúde pública."

18votos

Proibido fumar. Londres pondera banir fumo dos parques e praças

A Comissão de Saúde de Londres recomendou ao presidente da câmara, Boris Johnson, que proíba o fumo nos jardins e praças mais famosos da capital britânica, como Trafalgar Square. O Reino Unido proibiu o fumo nos locais de trabalho, incluindo bares e restaurantes, em 2007. Se esta recomendação der origem a nova legislação, Londres tornar-se-á a segunda cidade do mundo a proibir o fumo em espaços ao ar livre, depois de Nova Iorque, em 2011.

17votos

A incrível história da descoberta do ébola

Um dos homens que descobriu o ébola fala sobre as parcas condições de segurança que existiam na altura, em meados da década de 1970: "Não tínhamos ideia de que [o vírus] se transmitia através de fluidos corporais". Um dos frascos que continha o vírus chegou mesmo a cair e partiu-se nos pés de um dos investigadores. A nova descoberta, por sua vez, roubaria o nome a um afluente do rio Congo: o Ébola. O surto que vivemos atualmente "não é apenas uma epidemia, é uma catástrofe humanitária", assegura Piot.

15votos

Cientista espanhola enfurece fundação europeia que avaliou ciência portuguesa para a FCT

Responsável da European Science Foundation, que organizou a avaliação dos centros de investigação portugueses a pedido da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, ameaçou processar a autora de um artigo de opinião que menciona “falhas” nesse processo. O alvo é a cientista Amaya Moro-Martín, conhecida por ter escrito uma carta a Mariano Rajoy a despedir-se do seu país. A astrofísica espanhola Amaya Moro-Martín, escreveu que o processo de avaliação, apoiado pela European Science Foundation (ESF), tinha “falhas”.

32votos

A RAE muda a língua para mudar a realidade

A Real Academia Española apresenta hoje o novo dicionário do castelhano. A ediciçom vai substituir a de 2001 e incorpora centos de novos artigos e milhares de trocos nos já existentes. Destacam, polo momento político que se vive na Catalunha, os retoques que sofrem as definições de palavras como «soberanía», «referéndum» ou «nacionalidad». Entre outras sutilezas, a 'nacionalidade' já nom tiene a ver com a naçom, como indica o termo, mas com um Estado; e a 'soberania' passa a ser monopólio dos Estados independentes.

 5 comentários em: Cultura, Língua karma: 105
15votos

A XDLA solicita a posta en marcha dun Servizo Asturiano de Dobraxe [ast]

Despois da emisión de dúas longametraxes e dunha serie infantil (Os Bolechas) dobrada ao asturiano na TPA, a Xunta pola Defensa de la Llingua Asturiana (XDLA) quere afianzar o proceso a través da publicación do Decálogu sobre’l doblaxe asturianu. No texto, a XDLA exixe á RTPA e á Conseyería de Cultura, a través da Dirección Xeneral de Política Llingüística, unha implicación maior no proceso, e por iso solicitan a creación do Serviciu Asturianu de Doblaxe.

 sem comentários em: Cultura, Língua karma: 100
29votos

Un conselleiro do PP na TVG, imputado por carrexar anciáns con demencia nas eleccións de 2012

Segundo consta no auto de imputación, emitido o pasado setembro, Iravedra e os demais representantes do PP "trasladaron" estas persoas "á mesa electoral para depositar o voto" aínda que "tales persoas carecían de capacidade para comprender e decidir o sentido do seu voto" a causa de "padecementos" como a "demencia senil" ou a enfermidade de Alzheimer. No entanto, está "recoñecido xudicialmente" que "todos" os trasladados chegaron a votar e que o fixeron porque os levaron os membros do PP.

36votos

Valentim Fagim: Um New Deal para o galego

Diante dos olhos temos uma língua que está a ser substituída por outra, na qual, ademais, se está a dissolver e misturar. Para fazer frente a esta dinâmica temos duas estratégias sobre a mesa. Uma delas foi implementada nos últimos trinta anos e, em resumo, propõe desligar-nos das outras variedades, populações e países que as falam. Orgulhosamente sós, que se diz nestes casos. Que tal se ensaiamos a outra, a que vive a nossa língua como sendo internacional?

 sem comentários em: Cultura, Língua karma: 106
19votos

Com o gás, Moçambique quer fugir do exemplo de Angola

O país tem enormes recursos naturais, a começar pelo gás, mas enfrenta o desafio de os transformar em crescimento económico que melhore realmente a vida dos cidadãos. Angola, o segundo maior produtor de petróleo em África, é o exemplo a evitar, dizem. As enormes descobertas de gás e carvão em Moçambique colocam um novo desafio ao país. A economia moçambicana aposta no crescimento económico sustentado.

30votos

Victoriano Taibo: a normativa como problema

A obra Palavras para espartaco considerou-se a de maior qualidade das concorrentes ao VII Certame de Poesia Victoriano Taibo, mas a detecção de estar escrita “em português” conduziu-a ao silêncio. [...] que 'A coruja gazeava na noite e esse som arrepiou a moça que caminhava no carvalhal' é português e 'A coruxa gaceaba na noite e ese son arrepiou a moza que camiñaba no carballal' é galego supõe viver num universo paralelo no que se produziu a suspensão das leis da lógica.

 8 comentários em: Cultura, Língua karma: 101
15votos

Coimbra tenta evitar que estudantes atirem carrinhos de compras ao Mondego

No próximo domingo, o rio Mondego saberá se os esforços tiveram ou não resultado. Há já alguns anos que furtar carrinhos aos hipermercados nos dias que antecedem a Festa das Latas, de recepção aos caloiros à Universidade de Coimbra, é uma prática consentida entre os estudantes. No cortejo, servem para levar bebidas, trajes ou os próprios caloiros. Terminada a festa, muitos carrinhos são olimpicamente atirados ao Mondego, que na sua qualidade de mero rio, sem poderes divinos, naturalmente não os consegue fazer desaparecer.

22votos

Técnica electroquímica permite datar objectos antigos de cobre e bronze

Até aqui, determinar a idade de objectos arqueológicos à base de cobre – em particular, de bronze – só era possível indirectamente, medindo certos isótopos do carbono presentes nos materiais orgânicos encontrados na proximidade ou depositados na mesma camada sedimentar que os objectos de fabrico humano que se pretendia datar. Mas agora, num artigo publicado na edição internacional da prestigiada revista Angewandte Chemie, cientistas da Península Ibérica apresentam uma nova técnica de datação do cobre e do bronze.

35votos

Imprensa espanhola alerta sobre a destruiçom da Cova de Eirós por Cementos Cosmos

A Cova de Eirós alberga a mostra de arte rupestre mais antiga da Galécia e é umha das jazidas paleontológicos com restos de urso cavernário mais importantes da Península Ibérica. Apesar de ser considerada a jóia da arqueologia e la paleontologia da Galiza, o conjunto está ameaçado. A origem desse perigo é a mina que explora Cementos Cosmos.

32votos

A RAG acepta como significado de "chío" a de "mensaxe que se publica na rede social Twitter"

Nunha das últimas actualizacións do dicionario da Real Academia Galega, veñen de engadir á entrada chío a acepción de "mensaxe que se publica na rede social Twitter". Isto é, chío pasa a ser a forma galega correcta para o inglés tweet. Canda ela, tamén se actualizaron as entradas chiar (to tweet), rechouchío (retweet) e rechouchiar (to retweet). | Chío no DRAG: ir.gl/3b1e23

 2 comentários em: Cultura, Língua karma: 89
23votos

O Botafumeiro: "Somos creadores, dedicámonos a facer historietas, pero ante a necesidade asumimos o papel de editores"

Desde esta fin de semana o humor gráfico, a ilustración e a banda deseñada contan cunha nova publicación en Galiza: O Botafumeiro, unha revista dixital, de 62 páxinas, periodicidade mensual e cun prezo de 1,5 euros o exemplar. Entre os colaboradores do primeiro número atopamos a Jano, Rodrigo Cota, Alberto Guitián, Manuel Cráneo, Fernando Ruibal, Toño Tejerina, Brais Rodríguez, Berto Fojo, Kaz, Xiomara Correa, Murray McKinley, Tayone, Bernal Prieto, Roque Romero ou Martín Romero.

 sem comentários em: Cultura, Artes karma: 101

Chuza