15votadas

Resposta d'A Mesa á delegada da axencia tributaria española

“Eliminar todos os modelos de impresos e formularios en galego que existían nas oficinas e na web da Axencia Tributaria non é por trabas ao uso do galego? Retirar a documentación en galego que existía para a descarga na páxina web e negarse a facilitar escritos en galego cando un cidadán llos solicita non é porlle problemas á cidadanía que quere usar o galego? Impedir utilizar o galego en todas as xestións telemáticas non é por trabas a que os contribuíntes poidan usar a súa lingua?”

 6 comentarios en: Cultura, Língua karma: 102
24votadas

A norueguesa Statoil adotou o Português como língua oficial da empresa

A Companhia Statoil da Noruega, uma das maiores referências mundiais da indústria petrolífera e a grande exploradora do Mar do Norte, onde nasceu a referência "Brent" adotou o Português como língua oficial da empresa. Assim toda a documentação da Statoil vai passar a estar em norueguês, inglês e português. Com operações em 36 países e uma equipa de cerca de 23 mil funcionários, a Statoil foi, este ano, classificada pela Forbes Magazine, como a 10ª maior empresa de petróleo e gás do mundo e como a 26ª multinacional mais lucrativa.

38votadas

A axencia tributaria española inicia expediente contra A Mesa por solicitarlles as notificacións en galego

A Mesa pola Normalización denunciou nunha rolda de imprensa celebrada esta mañá as represalias da Axencia Tributaria contra a asociación en defensa do idioma por reclamar o seu dereito a recibir as notificacións en galego.

 10 comentarios en: Cultura, Língua karma: 89
21votadas

«Cheguei a ver uma missiva enviada à rúa do Hórreo traduzida por “calle del Granero”»

Xosé Iglesias é carteiro. Nasceu em Novegilde, uma aldeia do concelho do Vale do Duvra e é sócio de ADEGA e delegado sindical da CIG no seu centro de trabalho. | -Se tivesses de fazer um livro sobre o teu emprego e a língua galega, que nos contarias? - Contaria a roça ideológica intencionada que fazem da nossa toponímia e dos roteiros de ruas, a facilidade que encontra o poder estabelecido para através dos meios de comunicação fazer renegar à gente do seu.

11votadas

Termos médicos: Varo e valgo

Ter xeonllo varo é que os xeonllos saian para fóra, en forma de <>, e ter xeonllo valgo é que os xeonllos se metan para dentro, en forma de ><. Sinxelo, non é? Pois agardade un pouco...

 sen comentarios en: Cultura, Língua karma: 101
29votadas

Reintegratas, portai-vos bem

Se um reintegracionista se comporta como um imbecil prepotente, a gente generaliza-o e associa esse comportamento ao próprio movimento reintegracionista. E, desse modo, ninguém se molestará em conhecer as nossas ideias, porque seremos os imbecis esses que insultam a quem nom escreve em português. E de nada serve o reintegracionismo se o povo galego nom o apoia.

 10 comentarios en: Cultura, Língua karma: 91
29votadas

Cela: "No mundo inteiro as cátedras são de língua galaico-portuguesa, não de língua portuguesa e de língua galega"

Interessante entrevista a Camilo José Cela e José Saramago em Canal 9 TV (Valencia, Espanha). Emitida o 24-09-1999. Vídeo: goo.gl/1ZqzlG

 2 comentarios en: Cultura, Língua karma: 88
17votadas

Nemesio Barxa - Experto em direito civil galego: Epístola a Vitor Vaqueiro

Solidariedade contigo, Vitor. Somos alvo dos isolacionistas que protestam contra nossos escritos (cada qual no seu ámbito, eu no da Justiça), mentras que nos nem nos preocupamos deles. Abandonar a luta sería desertar do nosso povo e da nossa identidade. O colonizador impoe a sua ortografia e sintaxe á escrita galega (incluso palabras) com o que separa ao galego do seu tronco lingüstico, que é a lusofonia, para integralo no mundo do castelhano, pasando de este jeito, silandeiramente, a converter a lingua galega num dialecto da lingua castelhana.

 4 comentarios en: Cultura, Língua karma: 91
25votadas

«A distinção entre ‘galego’ e ‘português’ depende da posição em que se colocar quem observa»

Vítor Vaqueiro sofreu discriminação por conceber o galego como algo inseparável do português - chuza.gl/story/victoriano-taibo-normativa-como-problema -. "A distinção entre ‘galego’ e ‘português’ depende da posição em que se colocar quem observa. Se considerarmos galego o que se fala na rua, então 'carretera', 'a leite', 'naranxo' ou 'o ponte' é galego. Às avessas, muitos textos publicados na norma ILG não são ‘galego’, porque a gente não diz árvore, nem luvas, nem hepatite, nem centos de vocábulos que estão padronizados como galego".

 2 comentarios en: Cultura, Língua karma: 100
17votadas

O Governo de Valência em colaboração com a RACV (gémea da RAG) quer fazer Lei o isolacionismo

Apresentação do rascunho,da nova 'llei de senyes d'identitat', que estabelece um observatório de controle de atentados aos sinais de identidade para isso conta-se com a RACV entidade que afirma o valenciano idioma distinto do catalão e que defende uma normativa distinta da da Academia Valenciana que afirma catalão e valenciano a mesma língua. A definição da língua como principal sinal de identidade e diferente de qualquer outra língua

 3 comentarios en: Cultura, Língua karma: 81
21votadas

«Cambio» ou «troca»? «Em troca» ou «no entanto»?

É correto o uso de «em cámbio"? Ex: «Sempre transijo; em cámbio, ti tés que sair sempre com a tua.» O uso da palavra cámbio, em galego-português, deve restringir-se àqueles enunciados relacionados com as divisas («cámbio dólar-euro», p.ex.). Quando a voz castelhana cambio tem o valor de permuta (p.ex., na locuçom a cambio de), em galego equivale a troca, e quando tem o valor de transformaçom, equivale em galego a mudança, (ou alteraçom). En galego usa-se no entanto, porém, enquanto (que), polo contrário...

16votadas

Fundador do Facebook surpreende ao falar mandarim em Pequim

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, que está na China no âmbito de uma viagem de negócios e promoção, causou surpresa ao expressar-se em mandarim numa conferência na Universidade de Tsinghua, em Pequim. O jovem empreendedor participou numa conversa com alunos da universidade e começou por saudar a audiência com um "ni hao", algo que muitos estrangeiros fazem por cortesia quando participam nos atos públicos no país asiático. A diferença é que Zuckerberg continuou a falar em mandarim durante vários minutos.

 3 comentarios en: Cultura, Língua karma: 87
33votadas

A maioria dos estrangeiros residentes na Galiza provêm de Portugal e do Brasil

Então, quando uma pessoa de Portugal ou Brasil (ou Angola, ou Moçambique...) tente comunicar-se contigo num forçado portunhol, simplesmente diz-lhes "Fala-me em português, por favor". E no dia que consigamos que saia deles pedir-nos a nós que usemos o galego com eles, esse dia mudará radicalmente a situação sócio-linguística da Galiza. Para melhor.

 12 comentarios en: Cultura, Língua karma: 97
19votadas

Dúbidas do galego: Manzaneda

Entón, por que Manzaneda non se considera un topónimo deturpado e se oficializou a forma galega xenuína Maceda de Trives? O tempo ten máis forza que a filoloxía. Tres séculos de Manzaneda sepultaron o vello Maceda. As autoridades lingüísticas consideraron que era unha resurrección tan forzada que incluso podería ser contraproducente entre a veciñanza. É unha liña que se seguiu en canto á ortografía de diferentes topónimos, contraria á súa etimoloxía: Barcia, Alvedro, Cobas ou A Grova deberían grafarse Varcia, Albedro, Covas ou A Groba.

 4 comentarios en: Cultura, Língua karma: 102
34votadas

Ghalegho, un vídeo sobre a gheada e o seseo vídeo

Noelia Gómez fixo este vídeo como traballo para as aulas, coa intención de dignificar eses rasgos das nosas falas galegas que tan discriminados están actualmente: a gheada e o seseo.

 25 comentarios en: Cultura, Língua karma: 93
« anterior12345...134» seguinte

Chuza